A SUA WEB RÁDIO: DENGUE, ZIKA E CHIKUNGUNYA. SAIBA MAIS!

sexta-feira, 15 de abril de 2016

DENGUE, ZIKA E CHIKUNGUNYA. SAIBA MAIS!

 por Juliana Mota
 Dengue, transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, é uma doença viral, e sua infecção pode ser assintomática ou causar doença grave, levando à morte. Normalmente, a primeira manifestação da dengue é a febre alta (39° a 40°C), de início abrupto, que geralmente dura de 2 a 7 dias, acompanhada de dor de cabeça, dores no corpo e articulações, prostração, fraqueza, dor atrás dos olhos, erupção e coceira na pele.
A dengue em sua forma grave ocasiona dor abdominal intensa e contínua, vômitos persistentes, sangramento de mucosas, entre outros sintomas.
Salienta-se que não existe um tratamento específico para dengue, somente aliviador de sintomas. A única forma de prevenção da doença é acabar com o mosquito, mantendo o domicílio sempre limpo, eliminando os possíveis criadouros. Roupas que minimizem a exposição da pele durante o dia, quando os mosquitos são mais ativos, proporcionam alguma proteção às picadas e podem ser adotadas principalmente durante surtos.
O Zika é um vírus transmitido pelo Aedes aegypti e identificado pela primeira vez no Brasil em abril de 2015. A maioria das pessoas infectadas pelo zika não desenvolvem manifestações clínicas. Os principais sintomas são dor de cabeça, febre baixa, dores leves nas articulações, manchas vermelhas na pele, coceira e vermelhidão nos olhos. Outros sintomas menos frequentes são inchaço no corpo, dor de garganta, tosse e vômitos.
Após 3 a 7 dias os sintomas desaparecem. Formas graves e atípicas são raras, mas quando ocorrem podem, excepcionalmente, evoluir para óbito, como identificado no mês de novembro de 2015.
Através da picada do mosquito Aedes aegypt, o Zika é transmitido. Até o momento, não há evidências de transmissão do vírus Zika por meio do leito materno, assim como por urina, saliva e sêmen.
Não há tratamento específico para combater, nem vacina contra o vírus. O tratamento recomendado para os casos sintomáticos é baseado no uso de acetaminofeno (paracetamol) ou dipirona para o controle da febre e manejo da dor. No caso de erupções pruriginosas, os anti-histamínicos podem ser considerados.
A gestante deve tomar um cuidado especial, visto a suposta relação com a microcefalia em bebês. As investigações sobre o tema, entretanto, continuam em andamento para esclarecer questões como a transmissão desse agente, a sua atuação no organismo humano, a infecção do feto e período de maior vulnerabilidade para a gestante.
A Febre Chikungunya é uma doença transmitida pelos mosquitos Aedes aegypti e Aedes albopictus. A febre alta de início rápido, dores intensas nas articulações dos pés e mãos, além de dedos, tornozelos e pulsos são seus principais sintomas. Pode ocorrer ainda dor de cabeça, dores nos músculos e manchas vermelhas na pele. Não é possível ter chikungunya mais de uma vez. Depois de infectada, a pessoa fica imune pelo resto da vida. Os sintomas iniciam entre dois e doze dias após a picada do mosquito.
Também para o Chikungunya não existe vacina ou tratamento específico, Os sintomas são tratados com medicação para a febre (paracetamol) e as dores articulares (antiinflamatórios). Não é recomendado usar o ácido acetil salicílico (AAS) devido ao risco de hemorragia. Recomenda‐se repouso absoluto ao paciente, que deve beber líquidos em abundância.
Para maiores informações, dirija-se a um posto de saúde mais próximo de sua residência.
  Fonte: http://www.noticiagora.com.br/    

Nenhum comentário:

Postar um comentário